quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Não é felicidade

Na verdade não. Não dá para dizer que é felicidade genuína, daquelas que a gente tem vontade de gritar e sair para o caminho do abraço, mas é um bem-estar da forma mais literal possível. Um bem-estar de camisola, shorts, cabelos desalinhados, café com leite na xícara e pão com manteiga.
Um bem que nasce da música que toca e que joga meu corpo devagar “prum” lado e pro outro de um jeito suave. Algo como estar bem para dizer coisas sem sentido com um amigo e rir porque o que se fala não tem graça alguma. Tipo de recusar a ver matérias repetidas sobre desgraças repetidas sobre soluções não encontradas.
Apenas sentar de pernas cruzadas e ver as letras pintando o branco da folha e agradecer de peito cheio por um dia ter sido alfabetizada. Coisa de não se importar com o relógio avançado, mesmo sabendo que no outro dia vai ter trabalho. Na verdade não é felicidade genuína, é só um bem estar. Um estar bem. Tudo dosado de agora.
Por Natália Oliveira

11 comentários:

Daniel Savio disse...

É tranquilidade de alma...

Fique com Deus, menina Natália Oliveira.
Um abraço.

Dizendo Algo disse...

Simples, talvez por isso genial.

Renato Marques disse...

"Meu pai montava a cavalo, ia para o campo.
Minha mãe ficava sentada cosendo.
Meu irmão pequeno dormia.
Eu sozinho menino entre mangueiras
lia a história de Robinson Crusoé,
comprida história que não acaba mais."

Ao ler teu texto,não pude deixar de lembrar do trecho citado acima, de Drummond. Não vejo traço de intertextualidade, mas é notória em ambos os textos a mesma simplicidade, que Drummond enaltece neste poema.

Desta forma, não poderia eu deixar de parafrasear Drummond e, ao mesmo tempo, adjetivar o teu texto dizendo que " Eu não sabia que a sua história também é mais bonita que a de Robinson Crusoe".

Abraço.

Sena do Aragão disse...

Amo esse bem estar!

Que você possa sempre estar vivendo esses momentos maravilhosos.

Beijos!

Ótimo fim de semana!

Mulher Vã disse...

Sabe oq ue é, a gente complica muito a vida procurando grandes coisas pra nos deixar feliz, radiantes, e não percebemos que as vezes o sentir-se bem está simplesmente na simplicidade da vida.

Deu vontade de te dar um abraço apertado! =)

Beijo

ONG ALERTA disse...

Estar bem é viver...a felicidade é mais simples que imaginamos, paz.
Beijo Lisette

Mulher Vã disse...

"Simplesmente na simplicidade"

Unhul!

Hahahahaha

Natália disse...

O seu comentário, Dan, me lembra uma frase que gosto muito. Diz assim "há pensamentos que são orações. Há momentos nos quais, seja qual for a posição do corpo, a alma está de joelhos." Victor Hugo.

-

Adorei o seu canto. A home é simplesmente linda! Genial, isto sim, eu diria! Obrigada pela visita.

-
Rê,

suas veias poéticas me somam tanto. Adoro Drummond e é uma honra tê-lo em um pedaço por aqui, oferecido por você.

-

Que bom que você veio aqui pra eu partilhar com você. Que bom!

-

Oun, eu adoraria um abraço apertado. Morro de vontade de conhecer as belezas do seu estado, quem sabe não é uma oportunidade, né? A gente sempre tende a complicar. Os famosos neuróticos, sempre em busca de algo para sentir ou explicar algo que a gente nem sabe bem o que.

-

Estar bem é viver, concordo, no sentido mais literal e profundo que sua frase tem. =D

-

huahuahuahuuhauhuhauha
Ausência do complicado da complicação!

Beijos,

sblogonoff café disse...

EEiii!!
Saudade de você e da sua leveza.
Tenho aparecido por aqui, mas tão rapidinho!! ME esforço pra não deixar o café encher de poeira, mas quero esforçar também pra não deixar muito espaço de contato entre pessoas tão queridas do reino virtual!

***
Mas acho que é felicidade!!!!
Brilhando no ar!!
O simples é o caminho mais curto pra felicidade.
Por aí, vejo tantas gente achando que sofre a maior dor do mundo, caindo em abismos depressivos tão fortes que apenas terapias e remédios pra curar ou melhorar.
No entanto, a profilaxia está no dia a dia, no valor que damos ao que é importante e no quanto isso nos engrandece.
Para o que somos, temos até demais.
Sejamos mais gratos à vida e colheremos múltiplos momentos felizes.
Que os instantes se sucedam e formem enorme fila indiana em nossas vidas.
Em sua vida, moça!!

Sopro de Eves!!!!!!!!

sblogonoff café disse...

Tô aqui ouvindo 14 Bis, meus conterrâneos. Aí tocou "Pequenas Coisas" e lembrei daqui!!
Beeeeijo!

Pequenas Coisas
(César de Mercês / Sérgio Magrão)

Trago um pedaço da noite
Junto comigo
Bebo outro gole, outra chuva,
Corro perigo
Cada instante que ouço bater
Meu coração dentro de mim

Ouço as palavras do vento
Me confessar
Que desde o início dos tempos
Busca chegar
Onde possa se transformar
Numa brisa
Pra transportar e guardar

O perfume das flores
Os pequenos murmúrios
Folhas tristes do outono
E o jeito do amor

Sigo no rumo da manhã
Rindo sozinho
Dos pensamentos que tenho
Com festa e vinho
O ar da noite sopro de vida
Me lembrando
O que eu esqueço existir

Pensamento aqui é Documento disse...

Mi, querida!

Fico muito feliz, sempre, com a sua visita. =D.

Amém, faço de suas palavras orações!!!!

Tentei achar a música pra ouvir, mas não consegui.

Se tiver fácil, me manda?

Um beeeeeijo,