sábado, 26 de junho de 2010

Damas primeiro

O motorista parou um pouco antes do ponto, já que, como de costume, as pessoas não o deixaram avançar. Mesmo com as poltronas cheias, tinham pressa. Nunca entendi isto, subiam às cotoveladas e aos empurrões e no fim paravam juntas em pé. Se fossem um pouco mais serenas não somariam roxos e nem dores colaterais, mas povo brasileiro é povo da luta, né?
O ponto esvaziou quando da esquina o letreiro do Jardim Selma apareceu laranja. Um lago de cabeças se formou na porta, antes mesmo dela abrir. Com alguma distância, eu e uma amiga assistimos saltos, tênis, sapatos sociais e sandálias sumirem escada a fora. Ao ponto que subiam cheios de pressa, um homem se esquivava do desespero alheio com movimentos curtos para trás.
O lago deságuo logo e num movimento mútuo nos aproximamos da porta, eu, ela, ele. Num gesto de cabeça, ela pediu que ele entrasse primeiro, o homem tinha as pernas duras, esticadas, mortas. Ele então esticou o braço, largando parcialmente uma das muletas, fez um gesto para o lado, cortando o ar, e com um sorriso de dentes separados disse “as damas primeiro”.
...Deficiência é a corrente frágil que aprisiona o coração, mas o cavalheiro valente encontrou a gentileza quase rara e mudou minha visão
Por Natália Oliveira

5 comentários:

Alvaro Vianna disse...

Deficientes somos os que não vemos o mundo bonito que você vê. Obrigado por nos emprestar seus olhos.

Sena do Aragão disse...

Ainda há pessoas doces nesse mundo. Gente que sabe ser gentil.

Ótimo domingo.

Rose Cianci disse...

"...Deficiência é a corrente frágil que aprisiona o coração... ".
Nóssa! Arrasou, heim amiga. Aqueque que tem olhos para ver - veja...
Bjus.

Ronaldo Brito disse...

Nossa, gostei demais desse texto...

Gentileza genuína ainda existe...

=)

Pensamento aqui é Documento disse...

Alvaro.

Obrigada pela visita. Fico feliz quando passa por aqui, =D.

-

Sena, dá tanta alegria de saber disto, né? Que um mundo melhor ainda é possível.

-

Rô!

Tem muita coisa para ser vista neste mundo, né? Como Clarissa de Érico Veríssimo, deviamos descobri-lo diariamente.

-

Ronaldo, fiqueo feliz com sua volta!

Você viu que bacana?

Beijos, queridos