quinta-feira, 15 de abril de 2010

Eu Ela Meu

Ela olha o colar e só. É o suficiente para uma sensação boa invadir o peito. O colar no peito alheio invade o seu coração. Coração de criança emocionado ao lembrar dos tempos de escola. Uma flor colorida de lã ou crochê, amarela e azul. Flor pendurada por bolinhas lembrando douradas, muitas, colar comprido, flor baixa.
Ela olha, de repente. A mulher no balcão ao lado, o vidro separa o que é eu do que é ela. Ela nem olha na verdade, conversa com outra. Ela eu que olha. E olha por que quer algo para ver, mas de repente encontra uma florzinha de lã ou crochê, amarela e azul. Nem sabe porque, mas ali tem escola.
E se tem escola tem paz que invade o peito do coração alheio. Alheio meu, ao menos. Alheio eu ela meu. Uma florzinha de lã ou crochê no preto da blusa dela, nos castanhos dos olhos meus rouba tudo e devolve a paz de tempos que um dia foram meus. Eu ela meu. Ela o olha o colar e só eu. E quando pensa em perceber, some com tudo que era meu. Onde está o eu ela meu?
Por Natália Oliveira

6 comentários:

DJ disse...

De repente... estranhos aparecem e parecem tão comuns... não comuns de iguais, mas comuns de presentes!!! Como se fosse um presente um estranho aparecer e parecer ser conhecido desde sempre! Enfim... colares e contas!!! Não sou capaz de fazer conta das quantas coisas me remetem à infância!!! Mas enfim... Prazer em conhecê-la!

Mulher Vã disse...

"(...)nos castanhos dos olhos meus rouba tudo e devolve a paz de tempos que um dia foram meus(...)"

Sua sensibilidade me comove além da conta, Naty!

Um beijo


Blog de um Brasileiro disse...

Natália, achei tão linda a sua apresentação no blog. Adorei. Além do mais amei o blog. Desde já estará na barra lateral do meu.
Eu sou um cara comum que curte escrever sobre o que vive e o que sente. Mesmo que fale merda.
Abraços
Blog de Um Brasileiro

Pensamento aqui é Documento disse...

Dj.

Gostei tanto de seu comentário, chamei minha mãe para ler. É tão gostoso topar com gente que gosta de gente que lembra coisas boas.

Prazer!

-

Vããã!
=D

Que bom!

E os seus textos sempre devolvem a alegria!
=D

-

Brasileiro!

Que bom, que gostou!
=D

É uma biografia, rs.
Oba! Vou te visitar, com certeza.

Obrigada por passar por aqui!

Beijos

Daniel Savio disse...

Menina, pelo jeito ao andar pela vida, acaba revivendo um momento um momento bom, um momento que leva ao passado...

Fique com Deus, menina Natália Oliveira.
Um abraço.

Natália disse...

Um momento de paz..

Bom viver assim, né? Numa topada, uma lembrança.