sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Amiga de Mim

Eu tenho amigos quarentões que se divertem com bolas de chiclete e comem coxas de frango com a mão. Às vezes tem as mesmas aflições que eu, às vezes queixas infantis, por mim superadas a tempo. Tenho amigos mais novos que me ensinam coisas que demorei anos para entender e que me trazem a maturidade esquecida em alguns cantos da sociedade. Tenho amigos com a mesma idade que não aparentam a idade, outros nascidos a pouco tempo que já mostram linhas de maturidade.
Eu tenho amigos que mais brigo, outros que mais brinco, outros que mais converso. Tenho amigos de conversas fúteis, outros de profundas e filosóficas e outros que são tudo, tudo que preciso e que dispenso. São completos. Alguns moram longe, mas mesmo assim os vejo com frequência, alguns de tão perto escapam dos horários, dos combinados. São amigos corridos, de horários, de tratos. São amigos que podem marcar e desmarcar quantas vezes precisarem, são suficiente amigos para isto, no final das contas a gente sempre entende. Aliás, às vezes sou eu que escapo.
Eu tenho percebido que tenho amigos de todos os tipos, é tanta variedade que nunca me falta um sorriso, um abrigo, um abraço. Mas ando em busca de alguém diferente de todos os conhecidos, alguém confidente, alguém mais presente, alguém mais eu. Uma amiga que me veja com menos olhos acusadores, com menos manuais, menos cobrança, menos relatórios de desempenho. Amiga para ouvir os meus erros, amiga para enxugar as minhas lágrimas, amiga para me deixar descansar, quando eu só pedir isto. Amiga. É isto que me falta, é isto que me desejo, é isto que prometo pra mim. Ser mais amiga de mim.
Só me falta uma coisa no meu grupo de amigos, contar com a minha amizade pra mim, contar com a minha paciência pra mim, ser a cópia do que os meus amigos são pra mim incorporado no que eu sou, mas desta vez de eu pra mim. Só me falta um sorriso, um abrigo, um abraço meu, de eu para mim. Só me falta a compreensão, o colo, o conselho, mas principalmente, a cumplicidade, mas desta vez, de eu pra mim. A partir de hoje, mais amiga de mim.
Por Natália Oliveira

5 comentários:

Rosecianci disse...

Nossa, que texto bacana! E, que bom que você percebeu que precisa ser sua amiga, minha amiga... A partir do momento que nos gostamos fica mais fácil - e, acho eu, que você se ama, não? Então, "aproveite-se, ame-se mais, seja sua melhor amiga". Muitos beijos da amiga e mana sempre,

Natália disse...

Roooo! Você está nas primeiras linhas e no decorrer do texto, também. rs. Estilo tópico-frasal. Eu amo cada pedaçinho de mim, mas às vezes fico de bico comigo, sabe? É nisto que preciso melhorar. =D

Obrigada por fazer parte do melhor grupo de amigos do mundo, pessoa ensolarada.

Beijos

Daniel Savio disse...

As vezes temos de nos sacrificar um pouco para sermos amigos de alguém (algo de matar um pouco o ego próprio)...

Mas amigos é um tesouro da vida mesmo.

Fique com Deus, menina Natália.
Um abraço.

sblogonoff café disse...

Engraçado né? Essa parte do "como a ti mesmo" é a mais estranha, porque muitas vezes somos complascentes com os outros e ferozes com nosso próprio ser.
E várias vezes somos o contrário.
mas sem dúvida, é muito importante sermos nossos amigos e conhecer o que nos torna tristes e o que ns faz feliz. Aceitar as manchas e se alegrar com os brilhos.
Mas isso a gente também consegue com uma ajudinha dos amigos!!!

WITH A LITTLE HELP FROM "ours" FRIENDS !!!

Pensamento aqui é Documento disse...

Menino, Danii e Menina, Mi!

Acho que amizade só é amizade quando há troca. Tem amigos que damos mais, outro menos, mas enquanto houver amizade há troca. E nesta troca a gente encontra o que precisa da gente, amigos são espelhos de vez em quando.

Adoro ocês!