sábado, 19 de setembro de 2009

A grife é você

Eu entrei no mundo que o passaporte é o sorriso. Onde nem precisa RG, onde o único dever é ser você. Lá o brilho do sol, é o brilho do rosto que vem da garganta, de dentro. Onde ninguém mata ou pede tempo.
Lá a menina de roda pode andar, a senhora gordinha modelar e o cabelo crespo molhar. É onde o cego enxerga o coração, o surdo é maestro e o mudo sabe falar de tudo. É o lugar que o violão toca sem parar e o menino se permite dançar.
Não existem escolas, mas existem escolhas e lá todo mundo decidiu ser livre de si. As pessoas se doam, se entregam e se cuidam e é incrível como ninguém fica sem cuidado. É todo mundo bem olhado.
Elas se juntam nas praças e se abraçam em milhares de braços. Jogam baralhos, gargalham e trabalham muito menos que nós. Elas plantam, colhem e comem por fome, só. Não sustentam vícios, dizem que ser feliz, é ser assim.
Lá não tem moda. A grife é viver do simples, é brincar com a vida e tudo que precisa existir para dar sentido não vale. Lá é diferente daqui. Lá se pula da cama, se aceita, se topa. Lá lambuza com morango, com conversas, com elogios, com água de cachoeira.
Lá não estuda até ficar velhinho, mesmo sem saber o que quer ser. Lá ninguém diz o que tem que fazer. Lá o único dever é ser você. Eu passei por lá e agora conto para você. E se não puder viajar, eu invisto em você!
“Vida eterna é aquela que não acaba com a morte”
Ps: Baseado em ilusões reais.
Por Natália Oliveira

11 comentários:

Daniel Savio disse...

Belo texto sobre como deve se viver a vida, mas penso que estejamos muito longe de viver desta forma...

Fique com Deus, menina Natália.
Um abraço.

sblogonoff café disse...

Lá é Utopia?!

Mas aqui, existem critérios para definir quem vai ter o passaporte carimbado pra lá?!

Ou basta querer?!!

Sopro de Eves!!

Mulher Vã disse...

Naty, me dá um pouquinho do que tu bebeu?!? Também quero ver esse lugar hehe.

Smacks

Vã.

Sena do Aragão disse...

Está aí a melhor descrição que já ouvi deste lugar.
Também quero!

Beijos

Rose Cianci disse...

Continuo querendo muito, muito, muito este lugar, de preferência, sentar de baixo de uma árvore com muita fruta boa e ... viver a vida tranquila e sem neuras.

Natália disse...

Menino Dani.

O caminho entre os nossos desejos e os nossos dias é longe?

-

Lá é o paraíso escondido que trago dentro do peito, visito em meio ao desespero.

O carimbo é a loucura, é a falta de desjo de atender um modelo. O carimbo é o que me falta para mudar para lá de vez. Ou melhor, voltar de lá e começar o lá aqui.

Tá a fim?

-

rsrs.



Despeje no copo de liquidificador um bocado de perguntas sem respostas. Bata bem. Quando formar uma mistura branca, coloque uma pitada de ousadia e quatro colheres de detergente. Bata bem e toma!

rs

Funciona.

-

Quer?

Oba!

Mais um aliado!

Mochila nas costas? Bora?

-

Eu quero mexerica e você Rô? Depois da leitura, bora um cabo de paz?

rs

-

Beijo, beijo

Daniel Savio disse...

Eu não diria longe, mas ficar dificil libertamos de tudo para percorrer os caminhos que levam ao objetivo dos nossos desejos...

Hua, kkk, ha, ha, eu sou técnico, então sou semi brucrata (que sempre tem de dar carimbada em algum papel), achei engraçado (parecia que você é oposto a mim de uma forma mais literal).

Fique com Deus, menina Natália.
Um abraço.

sblogonoff café disse...

Poxa,
Eu tava até seguindo a receita, mas não tenho uma boa experiência com detergente!hehehe
É pra deixar tudo mais limpo?!!

***
Esse lugar é um mantra, pelo que entendi.
Quando tudo aqui está em ruínas, pensar num lugar assim é como gasolina para continuar o percusso.

Pensamento aqui é Documento disse...

Mas o que é difícil? Tenho a impressão que o que realmente é difícil a gente já faz. Viver em meio ao desespero, à fome e o desalento...

Rs. As afinações são boas, mas as desafinações têm lá suas vantagens.
-

Uahuahuahuahuahu
É para deixar tudo mais limpo, é. É para limpar tudo o que nos ensinaram, para tirar a ideia de que não é possível.

É meu refúgio, o meu mundo internior.

Mulher Vã disse...

Detergente?! Beber? Po! Colé?

Se bem que hm..bebemos tanta cousa e nem sabemos como foi feito Hm..

Se virar sorvete eu tomo!!

Que calor da mulestra.

Smack!

Natália disse...

Vã!

Detergente de coco, melhora?

rs

Se não tiver detergente, tem que ser sabonete. Do contrário, como vai limpar os conceitos pré-conceitos já estabelecidos? Com eles não dá para viajar.

rs.

Tá calor ai?

Por aqui tá um friozin...

Beijo,