sexta-feira, 14 de maio de 2010

As Ruas Falam

"Às vezes, em nossa profissão, você não precisa fazer perguntas. Basta ir às ruas e olhar as pessoas. E ai que você descobre a vida como ela é realmente vivida"
Por Gay Talease

4 comentários:

DJ disse...

Às vezes, na minha profissão, tenho vontade de me esconder!!! Também sei como a vida é vivida apenas por sair nas ruas... mas as ruas gritam tanto!! Sangram tanto... tanta lágrima, tanta dor! E tanto desencanto!
Hoje penso que poderia trabalhar com cosias melhores!!! Mas na "minhas ruas" o movimento é um pouco mais acelerado! Aí eu não consigo parar pra refletir sobre outras coisas!

Daniel Savio disse...

Mas algumas são desertas e escuras, então o que isto quer dizer?

Fique com Deus, menina Natália Oliveira.
Um abraço.

Rafael disse...

Isso me fez lembrar da minha época de criança,eu tinha medo de morcego e moravamos praticamente dentro de um parque ecológico,durante a noite eles sobrevoavam minha cabeça e eu perguntava do meu quarto oque era isso,e minha mãe dizia q eram pássaros... incrível como a criança acredita em tudo,entao eu dormia ao som dos supostos bater de asas dos pássaros,era oq eu escutava pois a escuridao nao deixava q eu os vesse

Natália disse...

Dj, com o que você trabalha? É verdade que as ruas sangram, são um scaner das pessoas né? Ao vê-las andar ou parar, ver o que procuram ou que deixam de procurar, dá para sentir, para perceber.

-

As ruas são extensão de nós, por isto algumas são desertas e escuras. Carregamos um pouco disto dentro da gente, não acha?

-

Rafa, tá perdoado! rs.

-

Beijos, queridos