sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Mãe



Um dia desses estava procurando nomes para minha próxima crônica. Foi então que pensei no meu: Natália. Gosto muito, mas imagino que minha mãe gostava mais. Porque entre todos os nomes que ela viu, ela escolheu o que ela achou o mais bonito.
A mesma coisa que ela fez com meus penteados de cabelo, quando eu era pequena, com os vestidos. E isso tudo me dá uma certeza que sempre serei levada com ela. E é bom saber disso. Principalmente agora. Especialmente nesse mundo turbulento e complicado. Olhar para alguém que tem seus olhos ou sua boca, que tem seus jeitos ou seu cabelo, é confortante.

Andar nos mesmo passos ou longe deles. Ouvir as mesma histórias que se repetem ou que se diferenciam. São frases, palavras, ou ao nosso ver simplesmente nomes que só elas sabem o quanto de significado isso traz.

Por Natália Oliveira

Um comentário:

Codigo Secreto disse...

Simplismente por te criado a filha com o amor e carinho...
E mostrar como seguir o caminho..
Por isso que gosto ti muitãoO*